Pesquisar este blog

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Nietzsche para estressados


[...]devemos encontrar um motivo para nos levantar da cama todas as manhãs. O problema de muitas pessoas insatisfeitas com sua existência é que elas não pensam na vida que gostariam de viver. E a primeira condição para encontrar-se é saber aonde se quer chegar. (Allan Percy, “Nietzsche para estressados”- 2011,p.7)
Muito interessante esse livro. Comprei faz um tempinho mas, só agora consegui começar a lê-lo. Ele trata de 99 doses de filosofia para despertar a mente e combater as preocupações, como diz na capa.
"Como diz Nietzsche, na cidade precisamos representar um papel porque estamos muito preocupados com o que pensam de nós. Mas, ao voltar à natureza, podemos nos dar ao luxo de sermos nós mesmos. Não precisamos nos vestir bem, falar ou atuar de maneira especial. Basta nos deixarmos levar pelo mundo natural em direção ao nosso interior, onde um manancial de tranquilidade nos espera. "(p.9)
O livro é bem motivador pois tenta mostrar que coisas ruins acontecem para percebermos que existe as boas.
Gostamos muito de lamentar, de dizer o que deveria acontecer. Nunca estamos satisfeitos do que temos e somos. 
A observação que este livro aponta de que "devemos morrer várias vezes enquanto estamos vivos" mostra que sempre existe uma transição, uma passagem e precisamos aproveitar cada momento, "para podermos nascer no estágio seguinte". 
Não adianta ficar se lamentando, se maldizendo, se queixando e reclamando da vida. Precisamos procurar a felicidade naquilo que possamos resolver, nas coisas simples, principalmente no nosso interior.
Algumas citações sobre a felicidade:
"A FELICIDADE É FRÁGIL E VOLÁTIL, pois só é possível senti-la em certos momentos."(p.8)
"Após uma semana de céu nublado, um dia de sol nos parece um milagre da Criação. Do mesmo modo, a alegria aparenta ser mais intensa quando atravessamos um período de tristeza. Os dois sentimentos se complementam, pois, da mesma forma que a melancolia não é eterna, não poderíamos suportar 100 anos de felicidade."(p.8) 
"[...]a felicidade vem em lampejos e que tentar fazer com que ela dure para sempre é aniquilar esses lampejos que nos ajudam a seguir em frente no longo e tortuoso caminho da vida."(p.8)
"O estresse não nasce das circunstâncias externas, mas da interpretação que fazemos delas. Talvez o segredo da felicidade seja deixar de nos preocuparmos com fatores e estatísticas que não dependem de nós e nos divertirmos mais."(p.11)
Sobre estresse:
"QUANDO PERDEMOS DE VISTA nossos objetivos fundamentais, somos dominados pelo estresse e pela desorientação."(p.7)
"Imaginar que temos obrigação de ser felizes o tempo todo e em todo lugar é um grande fator de estresse na sociedade moderna. A negação da tristeza dispara o consumo de antidepressivos e a busca de psicoterapias e nos leva a adquirir coisas de que não precisamos. Não exibir um sorriso permanente parece ser motivo de vergonha."(p.8)
"[...]mas gostamos de nos queixar, o que acaba gerando angústia e estresse."(p.11)
O livro trás também uma dica de "roteiro pessoal":
1. Pegue uma folha de papel e trace nela uma linha vertical.
2. Escreva à esquerda um resumo do que foi sua vida até hoje.
3. À direita, descreva o caminho que gostaria que ela tomasse a partir deste momento.
4. Logo abaixo, anote os passos necessários para seguir em 
frente com seu roteiro.

Não é só isso, tem muito mais...
Mesmo já conhecendo a filosofia de Nietzsche, achei interessante essa interpretação do PERCY e sugiro essa leitura.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem Vindo!

Seja Bem Vindo!
Volte sempre!